COMUNICADO DA PREFEITURA MUNICIPAL DE ILHÉUS.

NA ÚLTIMA LUA CHEIA, ILHÉUS FOI INVADIDA POR DISCOS VOADORES!

E dentro de cada um deles, um candidato…

Discos voadores trazendo candidatos ETs.

Discos voadores trazendo candidatos ETs.

 

ENTREVISTA COM AÉCIO NO ESTADÃO.

AÉCIO É BOM DE SERVIÇO!!!

ENTREVISTA COM JOSE SERRA – DIRETO AO PONTO.

A QUE PONTO PODE CHEGAR UM ALOPRADO!

apode3108painel

 Militantes petistas beijaram os sapatos de Lula na última quinta, em São José dos Campos (SP). Ele pedia votos para o afilhado Alexandre Padilha em um carro de som com piso baixo.

NÃO PODEMOS E NEM DEVEMOS ESQUECER JOSÉ ALENCAR.

homenagem-ex-vice-jose-alencar

Ele, José Alencar, era quem dava o freio de moralidade que ainda existia no Governo Lulopetista.

Depois dele, o PT se entregou a gandaia, e como a Geni, começou a dar pra qualquer um, e receber também…

PROJETOS DE AÉCIO PARA O NORDESTE.

NORDESTE

Adversários históricos sobem no palanque de Paulo Souto e Geddel em Itapetinga

Fotos: Valter Pontes

Fotos: Valter Pontes

 

Depois de percorrer sete municípios em carreata, a odisséia dos candidatos Paulo Souto, governador, Joaci Góes, vice, e Geddel Vieira Lima, senador, pelo Sudoeste Baiano culminou num comício histórico em Itapetinga, na noite de ontem (30). Pela primeira vez os adversários políticos José Otávio (DEM) e Michel Hage (PMDB), ex-prefeitos da cidade, subiram no mesmo palanque. E foi para apoiar a chapa da coligação “Unidos pela Bahia”.

“Não temos que olhar para questões pessoais neste momento em que a Bahia pede a nossa união em torno de Paulo Souto e Geddel para a construção de um futuro melhor”, afirmou Michel Hage. “Se antes nos digladiávamos politicamente pelo bem de Itapetinga, hoje estamos selando um acordo pela volta do desenvolvimento de nosso estado, que parou nos últimos tempos do PT”, reiterou José Otávio.

A grande obra de Paulo Souto, a implantação do Polo Calçadista que gerou mais de 20 mil empregos na região, foi destacada pelos ex-prefeitos, que lamentaram a situação atual. “Hoje, com o PT no governo, as fábricas estão fechando e a cada dia diminuem os postos de trabalho, que já não chegam a cinco mil com demissões frequentes”, observou Michel Hage. “Paulo Souto é o governador que precisamos para reverter esta triste situação de desemprego e violência que nos foi legada por Jaques Wagner”, disse José Otávio.

Para Paulo Souto, que prometeu, se eleito, atrair novas indústrias para Itapetinga, a união dos dois adversários históricos, Michel Hage e José Otávio, engradece a política. “A política se faz pelo embate de ideias, mas também pela união em prol de interesses maiores, que são o futuro de Itapetinga e da Bahia”, disse Souto.  Geddel citou o médium Chico Xavier em sua avaliação do momento histórico: “Muitas vezes não podemos voltar atrás para fazer um novo começo. Mas podemos fazer um novo fim. Viva Itapetinga. Viva a Bahia!”

DATA: 31/08/2014 –   ASCOM: 71 9994 4411 / 9695 8501

O PT COMEÇA A DESCONSTRUÇÃO DE MARINA SILVA.

O risco iminente do Brasil em caso de vitória de Maria Osmarina.

“Apesar de se dizer socialista , Marina não pode negar que é refém de megacapitalistas do Brasil e do exterior, notadamente de ONGs holandesas, inglesas, americanas e alemãs que têm interesse direto no extermínio do agronegócio e da pecuária brasileira à pretexto de proteção do meio ambiente.
Se eleita Marina Silva certamente irá mudar o projeto Porto Sul, ouçam o que a mesma diz a este respeito durante a visita que fez a Ilhéus no mês de março.
( Aqui).

Segundo Marina, governos estadual e federal não ouviram adequadamente estudiosos e ambientalistas. Dilma abriu mão da gestão ambiental integrada.”

O interesse internacional das ONGs.

O interesse internacional das ONGs.


Marina é uma figura pública com fortes características personalistas, exerce férrea liderança sobre seu pequeno grupo de políticos e empresários ligados a ONGs internacionais, mas é extremamente maleável e adaptável ao ideário neoliberal e neoconservador ,que se ajoelha aos interesses antinacionais. 

Como se sabe, Marina não pertence aos quadros do PSB. Sua presença no partido é ocasional, decorrente de a formação política que lidera não ter obtido apoio suficiente em tempo hábil para registrar-se perante o Tribunal Superior Eleitoral. Agasalhou-se no Partido Socialista para “passar a chuva”, algo de que não fazia segredo e que foi devidamente acordado com a cúpula partidária. No arranjo estabelecido, ocupava anteriormente a posição de vice na chapa liderada por Eduardo Campos. Agora, como resultado de uma tragédia, foi ungida candidata a presidente.

O Brasil caminha em uma direção equivocada quando sinaliza uma possível vitória de Marina. Uma mulher que certamente priorizará a criação de Parques biológicos, Reservas ambientais, levando o setor produtivo e em especial ao agronegócio à estagnação enquanto o mundo avança.

A líder da Rede pousava de oponente ao chamado agronegócio, estabelecendo com este uma disputa em torno das questões ligadas à defesa do meio-ambiente. De repente, numa estratégia eleitoral se aproxima do setor e promete tudo. No último dia (28) fez um aceno para melhorar sua imagem junto ao agronegócio. Visitou uma feira do setor sucroalcooleiro e fez um discurso de apoio aos usineiros para atrair os votos do setor.

Mas, ontem mesmo, dia (29), porém, ao lançar seu plano de governo, fez uma promessa que, se levada adiante em eventual mandato no Planalto, tem tudo para se transformar numa ampla batalha justamente contra esse mesmo setor.

Veja o mote da campanha de Marina: “Atualizar os indicadores de produtividade agrícola e acelerar o diagnóstico da função social da propriedade rural”.

Está ali, sem destaque, na página 58 de seu plano de governo em um total de 124, a promessa de atualizar os índices de produtividade usados para a desapropriação de terras para a reforma agrária. Na prática, ao atualizar os índices, o governo passa a exigir um maior aproveitamento das fazendas para que essas não sejam declaradas improdutivas e, seguida, destinadas à reforma agrária.

Trata-se de um tema caríssimo aos fazendeiros e à bancada ruralista no Congresso.

Atualizar os índices, segundo repetem os representantes do setor produtivo, seria uma espécie de abertura da porteira para a desapropriação em massa de áreas para os sem-terra.

Os seguidores de FHC da área econômica e bancos internacionais vieram a público advertir para as qualidades de Marina e suas afinidades com as exigências, diretrizes e determinações da oligarquia financeira. 

Marina apropria-se da história de sacrifício e luta do chamado “povo da floresta” e aparece como herdeira de Chico Mendes, faz uso publicitário da sua condição de ex-ativista das comunidades eclesiais de base, ex-petista e ex-ministra de Lula. Explora a fé evangélica e se tornou a porta- bandeira de visões obscurantistas e fundamentalistas, traço que já tinha exibido na campanha eleitoral de 2010.

Enfim, Marina não tem compromissos democráticos nítidos quanto aos movimentos sindicais e populares, com a política de valorização do salário mínimo, do trabalho e do emprego. Muito menos com a realização de uma política externa soberana. Comprometida com interesses facciosos de ONGs internacionais, não tem capacidade de unir as forças vivas da nação para enfrentar os desafios de um mundo conflituoso e sempre ameaçador para a soberania nacional dos países que lutam para se firmar como nações independentes e progressistas. O baiano que votar em Marina estará votando também contra o desenvolvimento do Estado.

Jerberson Josué
Estudante do curso de bacharel em Geografia na Universidade Estadual de Santa Cruz.
Ilhéus-Bahia.

 

Dê a sua opinião:
Não há nenhuma enquete disponível no momento.
DÊ A SUA OPINIÃO.
Não há nenhuma enquete disponível no momento.


Arquivos
Agenda
setembro 2014
D S T Q Q S S
« ago    
 123456
78910111213
14151617181920
21222324252627
282930