WebtivaHOSTING // webtiva.com . Webdesign da Bahia



Roberto Villardo, Chef do Grupo Privé, aposta em cardápios que valorizam a estética e surpreendem o paladar

Chef dos oito hotéis e três parques aquáticos do Privé Hoteis e Parques em Caldas Novas GO, Roberto vem dando mais identidade aos buffets e pratos a la carte da rede  

 

O renomado chef Roberto Villardo chegou a Caldas Novas-GO há cerca de 4 meses e desde então vem surpreendo o público que visita os oito hotéis e três parques aquáticos do Grupo Privé na cidade. Além de implementar em todos os cardápios o conceito comfort food, que embarca aquela alimentação caseira e sem o uso de conservantes, ele também surpreende na montagem e apresentações dos pratos.

Com 16 anos atuando na hotelaria, Roberto acumula passagens nas mais estimadas redes de turismo do país. O chef de cozinha é formado em gastronomia e chegou ao Grupo Privé com um desafio: desenvolver pratos que estimulem memórias afetivas remetendo a uma identidade única de experiências gastronômicas. ?Goiás sempre surpreende quando falamos de culinária, pela sua tradição em pratos marcantes. Quem vem hoje à nossa hotelaria também quer vivenciar o prazer de se sentir em casa e ser acolhido pelas maravilhas dessa culinária. Então, buscamos oferecer opções com o pequi e a guariroba, por exemplo. Há ainda, pessoas locais, que fazem questão de degustar uma comida que remeta ao que comem em casa, na fazenda ou lembre os sabores que só a comida de vó oferecia?, conta.

Na maioria dos casos, a opção para o serviço é o formato buffet. As seleções incluem delícias muita apreciadas pelos brasileiros, a exemplo da lasanha e escondidinho. ?Temos no mínimo três proteínas com carnes em variadas versões, muitas opções em saladas, já montadas ou em itens para montagem à gosto.  Outro diferencial muito importante é que toda nossa comida é fresca, não leva nenhum tipo de conservante, tudo feito com sal, pimenta do reino, bastante alho e cebola. É uma cozinha pensada e feita com amor, sem temperos industrializados?, reflete.

Aquele visual que encanta

A aparência, como explica o chef de cozinha, é o primeiro impacto. A pessoa vê a comida bonita, depois sente o aroma e por último, contempla o paladar. ?Buscamos impactar nossos visitantes seguindo esta ordem. Não adianta termos uma bela apresentação se o sabor não estiver à altura. Então, primamos pela sintonia: comida simples, caseira e com visual moderno! Um diferencial do Grupo Privé?, reflete.

Ele explica que para esse nível a montagem, tudo deve ser muito bem organizado. ?Temos uma equipe muito alinhada aos processos. Desde o molho ao protagonista do prato. Como exemplo, cada molho é desenvolvido não só para harmonizar com aquele prato em proporção de sabores, mas esteticamente também. Nada que cubra totalmente, mas traga um contraste de cores agradável aos olhos. Recebemos muitos elogios, inclusive que vão adquirir cotas do empreendimento devido ao setor de alimentos e bebidas, que é um diferencial de serviço que estará sempre a disposição. Acredito que a comida tem que trazer consigo mais do que sustento, mas também felicidade e prazer?, ressalta Roberto.

A afirmação do Chef Roberto é comprovada inclusive, cientificamente. Há alguns anos, uma pesquisa da Stony Brook University já adiantava que a frase ?comer com os olhos? não é apenas uma força de expressão. O estudo descobriu como o cérebro processa estímulos prevendo o sabor. O córtex gustativo, a parte do cérebro que media a percepção consciente do paladar, depende de todos os sentidos para antecipá-lo.  Sendo assim, é fato que o paladar se antecipa, sendo ativado pelos cinco sentidos antes mesmo da degustação. O sabor é formado por todos esses estímulos multissensoriais proporcionados primeiramente pela visão da apresentação dos pratos, seu aroma e por fim o sabor.

Sobre o Privé Hotéis e Parques

:: LEIA MAIS »

Arthur Lira assume favoritismo na disputa para presidir a Câmara

Bloco de apoio a Arthur Lira soma 242 votos contra 203 do candidato de Rodrigo Maia

A disputa pela presidência da Câmara, afinal, não está tão acirrada como parecia. Apesar de o atual presidente Rodrigo Maia colocar toda máquina a serviço do preposto Baleia Rossi (MDB-SP), o favoritismo está com o rival.

O bloco de partidos que apoia o deputado Arthur Lira (PP-AL) soma 242 votos, cerca de 47% do total. Já o bloco de Rossi chega apenas a 203, mas só se contar com improváveis 100% dos deputados do MDB, DEM, PT, PSB, PDT, PV, PCdoB, Cidadania, Rede e Solidariedade. A informação é da Coluna Cláudio Humberto, do Diário do Poder.

Analistas experientes observam que a campanha de Lira é “para dentro” da Câmara, enquanto Rossi parece disputar o voto popular.

Reduzem as chances de Baleia Rossi outras cinco candidaturas que lhe tiram votos: no seu MDB e também no Novo, Psol, Avante e PL.

A candidatura de Fábio Ramalho (MDB-MG), deputado muito querido na Câmara, tira votos preciosos de Rossi entre os 33 membros da bancada.

MDB pode substituir Simone Tebet como candidata à presidência do Senado

MDB fixou informalmente este domingo (24) como prazo fatal para Tebet obter apoio prometido

Nome do MDB à presidência do Senado, Simone Tebet (MS) está em uma encruzilhada: tornar viável a candidatura ou ceder seu lugar a outro emedebista.

Para ser escolhida candidata, ela alegou aos senadores MDB que teria adesões suficientes para vencer a disputa, citando o apoio das bancadas do Podemos e PSDB, que não se confirmou.

O MDB fixou informalmente este domingo (24) como prazo fatal para Tebet reverter ao menos o apoio tucano a Rodrigo Pacheco (DEM). Ou será substituída. A informação é da Coluna Cláudio Humberto, do Diário do Poder.

A candidatura da senadora começou a “fazer água” quando senadores do Podemos e PSDB decidiram apoiar o candidato do DEM-MG.

Simone Tebet foi muito prejudicada pela demora do MDB para definir a candidatura, deixando Rodrigo Pacheco fazendo campanha sozinho.

Enquanto o MDB “patinava”, Pacheco imobilizava o Planalto “plantando” a notícia do apoio, jamais declarado ou negado, do presidente Bolsonaro.

Tebet informa que anunciará a “plataforma” da sua candidatura apenas na segunda (25), a cinco dias da eleição. Talvez tenha de adiar.

STF nega liminar contra voto presencial para presidência da Câmara

Disputa pelo comando da Casa tem, até o momento, nove candidatos

Publicado em 22/01/2021 – 11:33 Por Felipe Pontes – Repórter da Agência Brasil – Brasília


A ministra Rosa Weber, vice-presidente do Supremo Tribunal Federal (STF) e responsável pelo plantão judicial até fevereiro, negou ontem (21) um pedido de liminar (decisão provisória) para garantir a votação remota na eleição para a presidência da Câmara dos Deputados.

Na segunda-feira (18), a Mesa Diretora da Câmara, por 4 votos a 3, definiu que a eleição, marcada para 1º de fevereiro, será somente no formato presencial.

Um dia depois, o PDT ingressou com mandado de segurança no STF, no qual pediu a liminar para que a votação ocorra em formato híbrido, permitindo o voto remoto ao deputado que assim preferir. A solicitação, entretanto, foi indeferida por Rosa Weber.

A ministra entendeu que não cabe intervenção do Judiciário no assunto, por se tratar de questão interna da Câmara. Ela destacou que a decisão da Mesa Diretora obedeceu aos procedimentos previstos e afirmou não ver “ameaça ao parâmetro constitucional do direito à saúde dos parlamentares com a densidade material necessária para provocar a excepcional intervenção do Poder Judiciário em assunto legislativo de cunho próprio”.

Rosa Weber ressaltou ainda que a decisão da Mesa Diretora foi tomada sob o argumento de que os deputados não poderiam receber tratamento diverso dos cidadãos, que em novembro do ano passado enfrentaram os riscos de contágio e compareceram às urnas nas eleições municipais de 2020.

Pedido
Para justificar o pedido, o partido classificou como “alarmantes” os níveis de contaminação pela covid-19 no Brasil e argumentou que “a possibilidade do voto à distância é fundamental para a preservação da saúde de deputados e funcionários da Casa, sobretudo aqueles que fazem parte do grupo de risco”.

Na petição inicial, o PDT citou estimativa do presidente da Câmara, Rodrigo Maia (DEM-RJ), segundo a qual mais de 3 mil pessoas circularam pela Casa durante uma votação presencial.

Maia foi um dos integrantes da Mesa Diretora que votou contra a eleição presencial. A votação, que é sigilosa, sempre ocorreu presencialmente, com os deputados utilizando cabines de votação no plenário da Casa, em um processo que, em geral, provoca aglomeração.

O PDT apontou também ser contraditório que durante o ano de 2020 quase todas as votações da Câmara tenham ocorrido, devido à pandemia, por meio do Sistema de Deliberação Remota (SDR), mas que agora a Mesa Diretora descarte a medida.

A disputa para a presidência da Câmara tem, até o momento, nove candidatos. Os que mais receberam apoio declarado de partidos são Arthur Lira (PP-AL) e Baleia Rossi (MDB-SP). O demais são Alexandre Frota (PSDB-SP), André Janones (Avante-MG), Capitão Augusto (PL-SP), Fábio Ramalho (MDB-MG), General Peternelli (PSL-SP), Luiza Erundina (Psol-SP) e Marcel Van Hattem (Novo-RS).

* Matéria atualizada às 12h31 para acrescentar posicionamento da ministra Rosa Weber no quarto parágrafo
Edição: Fernando Fraga

CODEBA – ORGANIZANDO PARA PRIVATIZAÇÃO

http://www.codeba.com.br/eficiente/repositorio/PDZ/ilheus/12953.pdf 

Liberação de vacina expõe mentira sobre ‘problemas nas relações com a Índia’

Laboratório Serum confirmou que 2 milhões de doses serão liberadas para o Brasil ainda hoje

A liberação de 2 milhões de doses de vacina pela Índia, confirmada há instantes, desmascara a mentira difundida largamente por órgãos de imprensa brasileiros atribuindo a supostos “problemas de relacionamento com o Brasil” uma inexistente suspensão no fornecimento do imunizante.

As primeiras remessas dessa vacina de Oxford/AstraZeneca produzido pelo Instituto Serum devem estar a caminho do Brasil ainda na noite desta quinta-feira (21), com chegada prevista no Brasil para esta sexta-feira (23) à noite ou no mais tardar na manhã de sábado (24).

Entre as mentiras difundidas sobre esse assunto esteve também a suposta “exclusão do Brasil” de uma lista de países que receberia a vacina fornecida pela Índia. Na verdade, essa primeira lista contemplava países que dependem da Índia e que constituem uma espécie de “comunidade econômica”.

Como é comum nas relações multilateriais, há diferenças entre Brasil e Índia no âmbito da Organização Mundial do Comércio (OMC). É que os indianos e os sul-africanos defendem a ampla suspensão (“waiver”) do TRIPS (Acordo sobre Aspectos dos Direitos de Propriedade Intelectual Relacionados ao Comércio), na OMC, para ajudar na “prevenção, contenção e tratamento da Covid”.

Como explicou o Diário Poder, o Brasil tem mostrado que o próprio acordo já prevê flexibilidades, como o licenciamento (voluntário e compulsório) de tecnologias. Índia e África do Sul são minoritários, nesse debate, e o Brasil apoia o entendimento da maioria.

Lewandowski nega decisão liminar para afastar Pazuello da Saúde

Ministro afirmou que o STF não possui autoridade para determinar a medida, pois “compete ao presidente da República”

O ministro Ricardo Lewandowski, do Supremo Tribunal Federal (STF), negou hoje (21) uma liminar (decisão provisória) para afastar o general da ativa Eduardo Pazuello do cargo de ministro da Saúde.

Na decisão, Lewandowski afirmou que o Supremo não possui autoridade para determinar a medida, pois “compete privativamente ao presidente da República, nos termos do art. 84, I, do texto constitucional nomear e exonerar os ministros de Estado’”.

A liminar havia sido pedida pelo partido Rede, que para justificar o afastamento de Pazuello alegou “diversos equívocos, incluídos os de logística, na condução das atividades ministeriais durante a pandemia do Coronavírus”. A legenda destacou as mais de 210 mil pessoas que morreram de covid-19 no Brasil e a recente falta de oxigênio em unidades hospitalares do Amazonas e do Pará.

Lewandowski frisou, contudo, que eventual afastamento de ministro de Estado depende da atuação da Procuradoria-Geral da República, a quem cabe apurar os crimes cometidos por essas autoridades, sejam comuns ou de responsabilidade.

“Ainda que, apenas para argumentar, o requerente pretendesse protocolar um pedido de impeachment do titular daquela pasta [Saúde], mesmo assim teria de endereçá-lo ao Procurador-Geral da República, e não diretamente ao Supremo Tribunal Federal”, afirmou o ministro.

Lewandowski reclamou ainda que a solicitação da Rede para afastar Pazuello não veio acompanhada de “quaisquer comprovações empíricas”, tendo sido “baseada em meras notícias jornalísticas, as quais dão conta de uma possível – e, a ser verdade, preocupante – falta de insumos médico-hospitalares na região Norte do país, em especial de estoques de oxigênio”.

O ministro também entendeu que o pedido, feito em uma ação de descumprimento de preceito fundamental, não tem relação com a causa original da Arguição de Descumprimento de Preceito Fundamental (ADPF) aberta pela Rede, que trata da compra de vacinas pelo Ministério da Saúde.

Desde que abriu a ação, em outubro, a Rede vem apresentando sucessivos pedidos adicionais. Além do afastamento de Pazuello, o partido havia pedido que o Supremo obrigasse o governo a prestar informações sobre o estoque de oxigênio no sistema de saúde país e apresentasse, em 24 horas, um planejamento para a disponibilização do insumo aos estados da região Norte.

                      

As solicitações não foram atendidas por Lewandowski. O ministro destacou que tais providências – requisição de informações e a exigência de execução de políticas públicas – “podem ser levadas a efeito sem a intervenção do Judiciário, por meio da competência atribuída à Câmara dos Deputados e ao Senado”.

Em uma outra ADPF, aberta pelo PCdoB e o PT, Lewandowski determinou que o governo apresente um plano detalhado, e que o atualize a cada 48 horas, sobre o enfrentamento da crise sanitária no Amazonas. Em uma primeira comunicação, a Advocacia-Geral da União (AGU) disse que as autoridades federais sabiam desde 8 de janeiro do risco de falta de oxigênio em Manaus. (ABr)

OUTRO IMÓVEL QUE PODE DESABAR NO CENTRO DE ILHÉUS

A QUEM CULPAR QUANDO ESTE CASARÃO NO CENTRO DESABAR? ===>>> 01/06/2019

Na Bahia, representantes do Governo Federal visitam FIOL, Porto Sul e Porto de Ilhéus

Integrantes de MInfra, PPI, Valec, ANTT e EPL fazem acompanhamento das principais obras da infraestrutura federal no estado

Publicado em 19/01/2021 19h14

 

Entre os dias 19 e 21 de janeiro, integrantes do Governo Federal percorrerão o trecho I da Ferrovia de Integração Oeste-Leste (FIOL) e as obras do Porto-Sul, bem como a área do Porto do Ilhéus. Eles também irão participar de rodadas de conversas com empresários do setor produtivo da região.

Para o coordenador-geral de Projetos Ferroviários do MInfra, Thiago Alvarenga, a agenda é uma oportunidade para avaliar obras importantes do ministério que estão a todo vapor no estado. “O volume de investimentos privados e a preocupação com o cronograma de execução demonstram que o setor privado acredita na FIOL. O projeto será bem-sucedido e trará desenvolvimento para a região e pra logística nacional”, enfatizou Thiago.

De terça a quinta-feira, a comitiva visitará a Companhia de Docas da Bahia (Codeba), os lotes de 1 a 3 da FIOL, as obras do Porto Sul e empresas produtoras de minério, commodity com forte vocação na região. “O grupo multidisciplinar que integra a comitiva desta visita técnica entende que, somente a partir do fortalecimento da intermodalidade e do fomento a parcerias entre os setores público e privado levaremos a infraestrutura nacional aos níveis de que o país precisa para se desenvolver ainda mais”, declarou o diretor-presidente da Valec, André Kuhn.

FIOL II – A segunda etapa da Ferrovia de Integração Oeste-Leste, denominada FIOL II, segue em obras no interior baiano. O trecho de 485,4 km, que vai de Caetité a Barreiras, está sendo construído pela Valec, gerando aproximadamente 1 mil empregos diretos e 2 mil indiretos. Em setembro de 2020, foi firmada parceria entre a Valec e o Exército para que a corporação atue nas obras de parte do lote 6 da ferrovia (aproximadamente 18 km), trazendo maior celeridade às obras. A meta da estatal é viabilizar a subconcessão da FIOL II ao entregar a obra com aproximadamente 80% de avanço físico até o final de 2022.

*Com informações da Assessoria de Comunicação Social da Valec

Assessoria Especial de Comunicação
Ministério da Infraestrutura

Infraestrutura, Trânsito e Transportes

Professores dão dicas para o segundo dia de provas do Enem

Provas de matemática e ciências da natureza serão aplicadas domingo

Publicado em 20/01/2021 – 06:20 Por Mariana Tokarnia – Repórter da Agência Brasil – Rio de Janeiro

 

Resolver questões de anos anteriores, revisar conteúdos estudados durante o ano e relaxar um pouco são algumas das dicas de professores entrevistados pela Agência Brasil para os estudantes que farão o Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) neste domingo (24). No segundo dia de aplicação da versão impressa do exame, os candidatos resolverão questões de matemática e de ciências da natureza. 

“Neste momento, quando se fala em exatas, a grande dica é fazer as provas anteriores. Pegar as duas últimas provas e ter calma”, diz o diretor-geral do Colégio e Curso Progressão e professor de matemática, Leonardo Chucrute. “O Enem não quer colocar pegadinha para o candidato. O que ele está cobrando é aquilo mesmo. Acredite no que a prova está pedindo, é aquilo mesmo, é o que você sabe fazer. O que falo para o candidato é, mantenha a calma, você está preparado, você estudou, acredite em você”.

Segundo Chucrute, com base na prova do último domingo (17), primeiro dia de aplicação do Enem, a expectativa é que o exame tenha menos textos longos e que os enunciados sejam mais objetivos.

“Não é o momento de querer aprender conteúdos novos, de tirar o atraso, porque isso pode gerar tensão e cansaço desnecessários nesta reta final. Importante revisar e focar nos conteúdos que mais caíram nas provas”, diz o gerente executivo de Avaliações e Conteúdo Digital do SAS e professor de química, Caê Lavor. Na página do Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (Inep) estão disponíveis as provas e os gabaritos dos anos anteriores do Enem.

A expectativa de Lavor é que o Enem mantenha o padrão dos conteúdos das últimas edições. “Será uma prova que repete os padrões do Enem. Tanto no conteúdo quanto na abordagem de problemas e conteúdos que são relevantes para o dia a dia dos alunos, que são relevantes para o cotidiano. O Enem cobra problemas e situações práticas, conteúdos que têm aplicação no dia a dia, conteúdos muito técnicos não costumam ser cobrados”. 

Razão, proporção, porcentagem, regra de três são, segundo os professores, conteúdos recorrentemente cobrados na prova de matemática. Em biologia, o conteúdo destacado é ecologia; em física, mecânica, que envolve aceleração, velocidade e troca de energia; e, em química, físico-química, que engloba cálculo químico e aplicações práticas das reações químicas. 

Na hora da prova 

Segundo o professor e coordenador de matemática do sistema COC by Pearson, Luiz Fernando Duarte, o estudante deve começar pelas questões com as quais tem mais afinidade. “Deve começar pela situação em que se sente mais forte, com o que tiver mais facilidade, para começar com mais confiança. Deve ser aí o ponto de partida”, diz.

 “Em uma leitura cuidadosa é possível identificar as questões que podem ser resolvidas mais rapidamente. Isso significa fazer um bom número de questões e ter mais tempo para fazer questões com exigência maior”, orienta. Segundo Duarte, um tempo médio para a resolução das questões é de três minutos para cada. Uma técnica recomendada é que os candidatos leiam com atenção os enunciados, que grifem as partes mais importantes, que podem ajudar na resolução. 

Ao todo, os estudantes terão cinco horas para resolver 90 questões. “Tivemos o caso de um aluno, ainda que ele estava fazendo a prova apenas como treineiro, que passou cerca de 30 minutos em uma questão e não conseguiu concluir a prova. Deixou de resolver questões elementares que só de passar o olho conseguiria resolver”, conta o professor de matemática do Centro de Educação de Tempo Integral (CETI) Augustinho Brandão, de Cocal dos Alves (PI), Raimundo Alves de Brito. “O estudante tem que saber identificar aquelas questões que certamente consegue resolver”, acrescenta. 

Respirar 

Em um ano atípico como o ano letivo de 2020, com a suspensão das aulas presenciais por causa da pandemia do novo coronavírus e, agora, com a realização do exame com uma série de medidas de biossegurança, os estudantes enfrentam uma ansiedade ainda maior. “A gente nem sabe como pedir, está todo mundo muito agitado, mas eu pediria calma. A prova está difícil para todo mundo, a situação é essa para todo mundo. É preciso calma e concentração para fazer a prova”, recomenda Brito.

Ele conta que enfrentou uma série de dificuldades ao longo do ano, com internet escassa no município, por vezes, estudantes não conseguiam sequer acessar um vídeo de três minutos. “Foi muito difícil, foi um ano horrível. A gente conseguiu mais ou menos cumprir a carga horária, mas as aulas ficam muito deficitárias. Estamos esgotados. A gente consegue sentir que não funcionou como a gente queria”, diz o professor. 

Lavor concorda. “É um momento de manter a calma. Sei que é difícil. Muitas vezes, o estudo desenfreado e a busca de conhecimento agora criam tensão. Estudar poucas coisas, manter a calma e pensar que este momento vai ser importante para que sejam definidos os próximos passos, a universidade, mas este momento não define quem a gente é”, diz. 

Ele chama a atenção para algo fundamental: a respiração. Uma dica é toda vez que o estudante se perceber nervoso, notar a respiração acelerada, parar e apenas respirar, até que ela desacelere. “Identificar a respiração pode ajudar a ter mais atenção plena. A estar presente no momento. Escutar o barulho da respiração por dez segundos”. 

Enem 2020 

O Enem começou a ser aplicado no último domingo (17) e segue no próximo (24). No primeiro dia de aplicação, o exame teve abstenção recorde de 51,5%. Do total de 5.523.029 inscritos para a versão impressa do Enem, 2.842.332 faltaram às provas. Nesta edição, o Enem terá uma versão impressa e uma digital, realizada de forma piloto para 96 mil candidatos, nos dias 31 de janeiro e 7 de fevereiro.

As medidas de segurança adotadas em relação à pandemia do novo coronavírus serão as mesmas tanto no Enem impresso quanto no digital. Haverá, por exemplo, um número reduzido de estudantes por sala, para garantir o distanciamento entre os participantes. Durante todo o tempo de realização da prova, os candidatos estarão obrigados a usar máscaras de proteção da forma correta, tapando o nariz e a boca, sob pena de serem eliminados do exame. Além disso, o álcool em gel estará disponível em todos os locais de aplicação.

Os candidatos que tiverem sintomas de covid-19 e de outras doenças infectocontagiosas não devem comparecer aos locais de prova. Devem comunicar ao Inep pela Página do Participante. Esses candidatos terão direito à reaplicação, nos dias 23 e 24 de fevereiro. 

Edição: Graça Adjuto

Lewandowski dá 72 horas para Anvisa informar sobre análise da Sputnik

Ministro atende pedido do governo da Bahia

Publicado em 20/01/2021 – 14:45 Por Felipe Pontes – Repórter da Agência Brasil – Brasília

O ministro Ricardo Lewandowski, do Supremo Tribunal Federal (STF), determinou hoje (21) que a Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) envie informações sobre um pedido de uso emergencial da Sputnik V, vacina contra a covid-19 desenvolvida na Rússia.

O ministro deu prazo de 72 horas para a Anvisa prestar os esclarecimentos e confirmar se, de fato, recebeu pedido de uso emergencial da vacina.

As informações serão usadas por Lewandowski para decidir sobre um pedido do governo da Bahia que quer autorização para importar e distribuir vacinas mesmo antes da aprovação da Anvisa, desde que os imunizantes já tenham aval de autoridade sanitária estrangeira ou da Organização Pan-Americana de Saúde (Opas).

A Sputnik V já foi aprovada e está sendo utilizada em países como Argentina, Bolívia, Paraguai e Venezuela, argumentou o governo da Bahia. No Brasil, representantes da empresa União Química têm se reunido com técnicos da Anvisa para tentar dar prosseguimento ao processo de aprovação.

O pedido da Bahia foi protocolado em seguida a notícias de que a Anvisa recusou um pedido de uso emergencial da Sputnik V. Na segunda-feira (18), o Fundo de Investimento Direto da Rússia divulgou uma nota, por meio da Embaixada da Rússia no Brasil, negando que tenha havido a recusa da Anvisa.

“Considerada a afirmação do autor, feita na petição inicial, de que já foi requerida a autorização temporária para uso emergencial da vacina Sputnik V, informe, preliminarmente, a Agência Nacional de Vigilância Sanitária – Anvisa, no prazo de até 72 (setenta e duas) horas, se confirma tal afirmação e, em caso positivo, esclareça qual o estágio em que se encontra a aprovação do referido imunizante, bem assim eventuais pendências a serem cumpridas pelo interessado”, escreveu Lewandowski no despacho desta quarta-feira (21).

Edição: Fernando Fraga

contador free

nao basta

Webtiva.com // webdesign da Bahia
janeiro 2021
D S T Q Q S S
« dez    
 12
3456789
10111213141516
17181920212223
24252627282930
31  


WebtivaHOSTING // webtiva.com . Webdesign da Bahia